Com o apoio da Fapesp, foram desenvolvido nos últimos 20 anos dois sistemas de monitoramento de poluentes atmosféricos, que estão ajudando cientistas a entender fenômenos raros observados na cidade de São Paulo na segunda-feira 19/08: quando o céu cidade escureceu repentinamente no meio da tarde e a chuva acinzentada observada logo depois em algumas partes da Região Metropolitana. Uma equipe do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen) por meio do sistema Lidar, do Centro de Lasers e Aplicações (CLA), detectou, ainda no domingo (18/08), uma intensa pluma de material particulado com mais de 3 mil metros de altitude. Depois, com auxílio de imagens de satélites da Nasa, e de um modelo que prevê a trajetória traçada por massas de ar, concluíram se tratar de partículas provenientes de queimadas ocorridas nas regiões Centro-Oeste e Norte, entre Paraguai e Mato Grosso e alguns trechos da Bolívia, Mato Grosso do Sul e Rondônia.
0 comments
0 comments