=Pela primeira vez na carreira, Neymar tem sua vontade contrariada= O último capítulo da “novela Neymar” não teve final feliz para nenhum de seus personagens. Mesmo depois de muita especulação e exaustivas reuniões de última hora entre representantes do Paris Saint-Germain e do Barcelona, os clubes não chegaram a um acordo pelo atacante. A contraproposta do PSG foi tratada como piada pelo presidente do Barça, Josep Maria Bartomeu, que se levantou e deixou a reunião de imediato ao ouvi-la. Desde o início tentando forçar uma saída do time francês, o brasileiro chegou até a oferecer aumentar o valor da proposta da equipe catalã com seu próprio dinheiro, o que não foi aceito pelo PSG. Depois do negócio com o Barcelona melar, seu pai ainda tentou um flerte desesperado com o clube rival, Real Madrid. E também recebeu um “não” dos merengues. Enquanto se arrastava, a novela ganhou traços tragicômicos. Afinal, há dois anos atrás o PSG fez um investimento milionário para ter Neymar, na negociação mais cara da história do futebol. A contratação custou aos parisienses 222 milhões de libras, além de um salário astronômico para o brasileiro: 91,5 milhões de euros por temporada. E como forma de gratidão, os franceses assistiram o brasileiro forçar a saída do clube. A todo momento, o staff de Neymar garantia que o jogador que não permaneceria na equipe. Diante disso, o atleta despertou a ira da própria torcida parisiense, que passou a hostilizá-lo com faixas, cartazes e cânticos nos jogos do time. A longa indefinição e o comportamento do brasileiro também esgotaram a paciência da alta cúpula do PSG. Segundo informação de Jorge Nicola, da ESPN, um empresário brasileiro, que não quis se identificar, esteve em reuniões com dirigentes do Saint-Germain e afirma que o clube não fechou o negócio por orgulho. O empresário ainda diz que a vontade do presidente do PSG, revoltado com o brasileiro, era de “fazer Neymar ficar correndo em volta do campo até o contrato acabar”. No final dessa história, parece que todos os envolvidos ficaram perdendo, saindo do imbróglio mais desgastados e mais aborrecidos com o atacante. Sem sequer entrar em campo nos últimos três meses, o brasileiro conseguiu manchar a sua imagem e prejudicar até mesmo o seu valor de mercado. Agora, aos 27 anos de idade, Neymar recebe o primeiro “não” de sua carreira e precisará lidar com o péssimo clima deixado nos bastidores, arquibancadas e vestiário do próprio clube. Fica a dúvida do que será daqui pra frente com o atacante no futebol francês, cujo contrato com o PSG vai até o meio de 2022.
0 comments
0 comments