=Já ouviu falar de Slow Morning?= Verdade seja dita: com a velocidade que as coisas acontecem no mundo atual - e com toda a ansiedade que isso causa em qualquer pessoa, essa busca pelo slow em diversas esferas da vida é mais que justificável, né? Fazer as coisas com calma, curtir os momentos que nos fazem bem sem pensar no que vem pela frente podem transformar não só nosso físico como também nossa saúde mental. O “slow Morning” é uma prática que, além de valorizar o tempo que a gente tem pela manhã e aproveitá-lo de forma mais eficiente, também incentiva o afastamento do celular nesse período - para mim, é quase como uma forma de autocuidado. Já parou para pensar sobre como a gente se sente bem quando acorda com calma, sem correria para ir ao trabalho? E se isso começar a ser uma prática cotidiana? Será que é tão impossível assim? Guardar o celular em outro cômodo enquanto faz suas tarefas em casa e só pegá-lo na hora de ir ao trabalho, alongar ao invés de digitar logo quando sai da cama e evitar o caos da internet por 30, 40 minutos. Algumas pessoas fazem exercício, outras fazem algo que gostam - e tem até quem só tome um café da manhã com calma. O movimento é uma estratégia usada por quem está exausto com o uso pesado da tecnologia na sua vida - ajudando a focar no que é realmente importante de ser feito no dia. Os americanos ficam uma média de 4 horas por dia em redes sociais - e inúmeras pesquisas comprovam o quanto isso tem aumentado os níveis de ansiedade na população. Não é atoa que o termo “detox digital” está tão em alta. A estratégia de quem pratica o Slow Morning é redefinir a relação que tem com a tecnologia, não deixando que ela tome conta de todos os aspectos de sua vida.
0 comments
0 comments