=Um pouco mais sobre o Budismo= Durante a semana, fizemos posts relacionando a espiritualidade para os praticantes do Budismo, e agora nos aprofundaremos um pouco mais na história da religião budista. O Budismo foi criado por Sidarta Gautama, por volta do século VI a.C., e não é apenas uma religião, mas também um sistema ético e filosófico. Sidarta vivia isolado em um palácio, cercado de muito luxo, no Nepal. Resolveu abandonar a vida que tinha em busca das respostas para o sofrimento universal. Esteve sentado ao longo de sete semanas no pé de uma figueira, e ficou imperturbável durante este tempo, encontrou finalmente as respostas que procurava e se tornou um ser iluminado. Percorreu a planície do Rio Ganges, na Índia, pelos quarenta e cinco anos seguintes, ensinando sua doutrina às pessoas. O principal livro budista é o Tripitaka, que está dividido em três conjuntos de textos, sendo eles: os ensinamentos originais de Buda, as regras para a vida monástica e os ensinamentos de filosofia. O Budismo se dividiu em duas correntes, a primeira é o Budismo Theravada, que prega o esforço e a disciplina como caminho para a redenção; e o Budismo Mahayana, base para a doutrina Bodhisattva e o Zen-Budismo, este último tem maior concentração de praticantes no Japão. Para o sistema de crenças budista existem quatro princípios ou verdades fundamentais: o primeiro é que o sofrimento sempre se faz presente na vida; o segundo é que o desejo é a causa crucial do sofrimento; o terceiro é que a aniquilação do desejo leva à aniquilação do próprio sofrimento; e o último é que a libertação individual é atingida através do Nirvana. O Nirvana é entendido como um estado de paz, calma, pureza de pensamentos libertação, transgressão física e de pensamentos, é o acordar para a realidade. Para os budistas, o caminho da libertação só é atingido a partir do momento que o Samsara é quebrado, que é o ciclo do nascimento, existência, morte e renascimento. O Budismo pode ser entendido também como uma atitude perante o mundo, em que os seguidores aprendem a se desapegarem de tudo que é transitório, e alcançam a autossuficiência espiritual. Três séculos após a morte de Gautama, o Budismo já havia se espalhado por todo o continente asiático. E ao longo de sua caminhada pelo continente, foi ganhando novos formatos, com algumas diferenciações. Hoje, existem adeptos da religião Budista por todo o mundo, presentes em todos os continentes.
0 comments
0 comments