Atualmente assistimos a uma conjuntura macroeconômica assolada pela elevada taxa de desemprego, em torno de 12 %, cujas implicações são diversas, inclusive no que tange à estagnação do consumo das famílias e à falta de investimentos, já que as expectativas com relação à economia brasileira estão muito aquém do necessário para a retomada do crescimento econômico. Na contramão dessa realidade, diante do elevado consumo de tecnologia na economia brasileira, a demanda por profissionais da área está muito superior à oferta desses técnicos no mercado, haja vista que formamos pouca mão de obra na área de tecnologia e afins. Nesse sentido, faço alguns questionamentos retóricos; primeiramente, por que somos grandes consumidores de tecnologia, afinal de contas demandamos no mercado, e a taxa de ingresso para formação nessa área é relativamente baixa? Esse dado reflete alguma deficiência estrutural na educação brasileira, que é determinante no processo de tomada de decisão pelo estudante, quanto à área de atuação profissional? A escolha da profissão, não é influenciada pelos fatores de mercado? _O Brasil é um dos países que mais consomem tecnologia, mas dados da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) indicam que somos uma das nações que menos forma profissionais da área: apenas 17% das matrículas nas universidades brasileiras são em cursos do segmento._
0 comments
0 comments