_"Já passei por clientes duvidando de que eu fosse a gestora do projeto, perguntando se eu não era a recepcionista. Questionando porque eu trabalhava com um sistema de tecnologia alemão, quando deveria estar procurando um marido por lá”_ Afirmou Nina Silva. “Meu currículo chegava na frente e a figura chegava depois. Quando as pessoas me viam, demonstravam seu real preconceito.” Silva foi considerada uma das mulheres mais poderosas do Brasil pela revista Forbes e uma das 100 personalidades afrodescendentes mais influentes com menos de 40 anos de idade pela Most Influential People of Africa Descent, parceira da Organização das Nações Unidas (ONU). Também entrou recentemente para a lista de dez mulheres que transformam o empreendedorismo e a inovação, elaborada por EXAME. Além de fundadora do Movimento Black Money, Silva é líder em gestão de projetos em tecnologia da informação na consultoria de TI ThoughtWorks. Anteriormente, trabalhou para empresas como a fabricante de bebidas Heineken, a montadora Honda e a companhia de cosméticos L’Oréal. Também é mentora e palestrante — recentemente falou sobre inclusão financeira dos negros em um fórum para CEOs no evento Experience Club. Nessa entrevista ela aborda a importância de fomentar o afroempreendedorismo com iniciativas próprias a população negra. Eai, o que falar dessa mulher MARAVILHOSA NE?
1 comment
1 comment