=O PRIMEIRO GRIPEN E/BR= A fabricante sueca entregou no dia 10 deste mês de setembro, o primeiro caça Gripen E/BR, como está sendo chamado, à FAB. É o primeiro de um lote inicial de 36 caças comprados pelo Brasil. A compra desses caças faz parte do processo de renovação das aeronaves de combate da FAB, que vinha sendo discutido, negociado e sucessivamente adiado desde o governo FHC, e envolveu também situações constragedoras, como as denúncias de negociações escusas entre o governo Lula e o governo francês, na época, representado por Sarkosi. O caça francês era muito inferior ao Gripen, com pouca experimentação em situações de combate, e mesmo assim o governo Lula parecia disposto a aceitar o negócio, desde que houvesse uma "contrapartida". A atuação da FAB e as polêmicas acabaram melando o negócio, que foi finalmente fechado no governo Dilma. A substituição dos caças Mirage 2000, praticamente sucateados da FAB, era fundamental para a segurança nacional. A Suécia chegou a emprestar aeronaves para o Brasil enquanto os primeiros caças não eram entregues, diante da difícil situação dos Mirage. O contrato, que envolve diversas empresas nacionais e multinacionais, incluindo a Embraer Defesa, o braço militar da Embraer que não entrou na fusão com a Boeing, é excelente para o Brasil, já que prevê transferência de tecnologia. Os últimos caças do lote devem ser finalizados inteiramente no Brasil. Além disso, a qualidade do caça atrae clientes, o que pode gerar lucros para as empresas brasileiras envolvidas, movimentando um mercado fundamental, não só para a defesa do país como para o desenvolvimento de tecnologias aeronáuticas, mercado de trabalho, pesquisas universitárias e todo o resto da cadeia produtiva e científica envolvida.
0 comments
0 comments