Investir o equivalente a US$ 1,8 trilhão (R$ 7,4 trilhões) na próxima década - em medidas para se adaptar às mudanças climáticas - pode produzir benefícios líquidos quatro vezes maiores, de mais de US$ 7,1 trilhões (R$ 29 trilhões). A princípio parece até uma barganha ou técnica persuasiva aplicada ao Capitalismo no século XXI. A referida conclusão consta em uma análise de custo-benefício global que estabelece cinco estratégias de adaptação. O estudo foi realizado pela Comissão Global de Adaptação - um grupo de 34 líderes em política, negócios e ciência. É válido ressaltar que diante das infinitas possibilidades tecnológicas que temos (inclusive as que ainda nem vislumbramos) o paradigma econômico, de produção e alocação (A economia), deve orientar-se no sentido da sustentabilidade. Os recursos naturais, o meio ambiente (nós estamos inserdos nele) e os fatores naturais que nos cercam, são fatores finitos e escassos. Trata-se de uma questão muito simples, basta voltarmos à pauta da biologia. O capitalismo selvagem ( aquele não sustentável, de exploração ) espero que daqui uns anos, seja de fato um paradigma superado. Acredito que a multidisciplinariedade dos temas que nos cercam pode contribuir para a compatibilização dos interesses dos agentes econômicos em observância à sustentabilidade.
0 comments
0 comments