O sacerdote cubano Dagoberto Isaac Cordero Chirino esteve no Brasil com uma missão: convencer pais e mães de santo do país a pararem com os sacrifícios animais no candomblé e na umbanda. Os dados do IBGE de 2010, mostraram que 589 mil pessoas se declararam praticantes de umbanda ou candomblé. Chirino é do culto yezam, uma religião africana de 4500 anos que nunca teve o sacrifício animal como parte de seus cultos, sem uso de sangue. O culto yezam guarda semelhanças com o candomblé e com a umbanda, é uma religião africana que teve origem em Benin, e chegou a Cuba e a outros países da América Latina pelos escravos que foram trazidos da África. Segundo o sacerdote, todas as religiões já fizeram sacrifício animal em algum momento, os cristãos, budistas e muçulmanos, mas acabaram por se adequar às mudanças e substituíram o sangue dos cultos, agora é o momento das religiões de matriz africana se adequarem.
0 comments
0 comments