Os terreiros das religiões afro-brasileiras fazem parte do circuito de turismo religioso da Bahia, foram tombados como Patrimônio Imaterial pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac). Os centros mais conhecidos estão no recôncavo baiano, onde a cultura africana teve maior influência. Alguns terreiros são: Lobanekun: fica no povoado de Terra Vermelha, liderado ialorixá Mãe Lúcia Barreto, se identifica como das nações Nagô e Congo, faz culto tanto aos orixás quanto aos caboclos. Aganju Didê: também no povoado de Terra Vermelha, é um terreiro da nação Nagô. Inzo Incossi Mukumbi Dendezeiro: localizado em Cachoeira, é liderado por Estelito Reis, é um terreiro de nação Angola. Asepò Erán Opé Olùwa: no povoado de Terra Vermelha, é um dos mais tradicionais terreiros de Candomblé, é da nação Nagô Ijexá e cultua orixás e caboclos. Ogodô Dey: fica na cidade de Cachoeira e é liderado pela Ialorixá Railda de Oxum, é da nação Nagô e cultua orixás, caboclos e santos católicos. Confira os outros na reportagem!
1 comment
1 comment